Estrela inativaEstrela inativaEstrela inativaEstrela inativaEstrela inativa
 

Nota: Eu, Sílvio Lôbo, apoio leis mais duras, para punir de forma severa a violência cruel cometida contra os homoafetivos (muitos amigos meus).
    O que não concordo é a criação de uma lei que de destaque a um grupo, pois tratar o gay como diferente, por só é uma forma de discriminação. Imagina, se depois do Estatudo da Criança, e do Idoso, criados por se tratarem de humanos frágeis, tivermos o Estatudo do Gay?
    Por isto não concordo, com este show criado em torno desta Projeto de Lei, cuja única função é obter votos.
     Se os deputados e senadores quisessem realmente o melhor para os homoafetivos, criariam leis para garantir o estado civil de casados. (Hoje os homossexuais só podem ter a União Estável aceita, por força de decisão do STF, pois lei mesmo os políticos não criam).
     

Como determinar num casal gay aquele que irá aposentar com menos 5 anos de trabalho?


Art. 122. Se mais vantajoso, fica assegurado o direito à aposentadoria, nas condições legalmente previstas na data do cumprimento de todos os requisitos necessários à obtenção do benefício, ao segurado que, tendo completado 35 anos de serviço, se homem, ou trinta anos, se mulher, LEI Nº 8.213, DE 24 DE JULHO DE 1991.

Em caso de violência domestica envolvendo casal gay, qual deles estará protegido pela Lei Maria da Penha?

Art. 1o Esta Lei cria mecanismos para coibir e prevenir a violência doméstica e familiar contra a mulher, nos termos do § 8o do art. 226 da Constituição Federal, da Convenção sobre a Eliminação de Todas as Formas de Violência contra a Mulher, da Convenção Interamericana para Prevenir, Punir e Erradicar a Violência contra a Mulher e de outros tratados internacionais ratificados pela República Federativa do Brasil; dispõe sobre a criação dos Juizados de Violência Doméstica e Familiar contra a Mulher; e estabelece medidas de assistência e proteção às mulheres em situação de violência doméstica e familiar. LEI Nº 11.340, DE 7 DE AGOSTO DE 2006.

Numa lide entre casal gay, ambos com as mesmas condições financeiras, qual será o foro privilegiado?

Código de Processo Civil em seu art. 100, inciso I, o seguinte: "Art. 100. É competente o foro: I - da residência da mulher, para a ação de separação dos cônjuges e a conversão desta em divórcio e para a anulação de casamento; (...)".

Qual banheiro ele deve usar no shopping?


casal_gayClaro que isto aqui é uma piada, mas recebo questionamentos como este todos os dias, e prestigiando meu visitante decidi publicá-los enquanto não é proibido.

Amigos gays, mais esclarecidos que grande parte da população brasileira, tem me incentivado a fazer tais colocações. É importante destacar que a orientação sexual em nada muda as questões de gênero. O que o Estado tem feito por meio de algumas ações eleitoreiras do PT, em especial de Marta Suplicy, é ganhar os votos de parte do publico gay que igual ao resto da população brasileira hétera têm pouca instrução.
Não vamos perder tempo com bobagens, somos todos iguais. Ninguém é melhor do que ninguém, tampouco tem mais direitos ou menos direitos que os outros apenas por sua sexualidade ou afetividade.
Afetividade é a chave do Direito das Famílias!
Pense nisto,

Deixe seu comentário

Todos os campos * são obrigatórios