Instagram

Ajude-nos

Você sabia que qualquer pessoa pode publicar neste site, mas que todo custo é pago apenas pelo editor?
Se deseja ajudar este projeto, pode fazer doações de qualquer valor, mesmo poucos centavos, por meio de depósito em poupança da Caixa Econômica Federal. Anote ai!

Banco: Caixa Economica Federal [104]
Favorecido: Silvio de Souza L Júnior.
Agência: 1340
Operação: 013
Conta Poupança: 809559-4

Rua 44 Anunciar 600x300
Estrela inativaEstrela inativaEstrela inativaEstrela inativaEstrela inativa
 

Existem outros artigos sobre este caso nestes site, não deixe de ler.


A autoria da morte da publicitária Polyanna Borges Arruda, 26, ainda desafia a polícia.

O caso é investigado pela Delegacia Estadual de Investigações Criminais (Deic) que ainda aguarda a conclusão de laudos, como digitais encontradas no carro da vítima. Ela foi morta com dois tiros, um no peito e outro no braço esquerdo.

"Pollyana desapareceu, no dia 23 de setembro, a caminho da Universidade Católica de Goiás (PUC), onde ministraria uma palestra para alunos do curso de Publicidade. No mesmo dia, a polícia encontrou o carro da jovem, parcialmente queimado, no Residencial Caraíbas, região norte de Goiânia. Os objetos pessoais da vítima, como notebook e bolsa, não foram levados".

"Na noite do dia 24, o corpo de Pollyana foi encontrado em uma área do Residencial Humaitá, às margens do Córrego Caveirinha, também região norte da Capital. No local, a polícia encontrou cápsulas, supostamente de calibre 357 ou 38. A cena do crime indicava sinais de luta. O corpo de Pollyana foi encontrado nu, mas a perícia não constatou sinais de violência sexual". (Cláudio Barros)

 

fonte: http://www.dm.com.br/materias/show/t/morte_de_publicitaria_desafia_a_polcia

Foto de Polyanna (Abrir em nova janela)