Estrela inativaEstrela inativaEstrela inativaEstrela inativaEstrela inativa
 

Num exibicionismo miserável, o presidente Lula acolhe em suas negociações o Irã, uma das ditaduras antidemocráticas mais violentas de nossos dias.

O Irã não é vitima!  Como uma nação soberana, ele tem todo o direito de enriquecer urânio, fazer bombas atômicas, armas biológicas, o que quiser. Mas para ter o apoio do Brasil, ele deve primeiramente acolher os valores mínimos de nossa sociedade, para não dizer, que ele deve no mínimo respeitar “a vida”. A ausência de jornais livres, educação básica, governo ditatorial cujo desejo é se impor sobre o Mundo com armas de destruição em massa, torna a ajuda brasileira inaplicável. Não se pode justificar uma ação que coloque em risco bilhões de pessoas se reunindo apenas pelo fato de que ninguém no mundo gosta dos EUA.
O Brasil só deve se unir a países que tenham em sua constituição o princípio mor presentes na nossa Constituição,
 “DIGNIDADE DA PESSOA HUMANA”
 O Irã tem um povo amigo, mas sofrível, que após diversas invasões vem passando por diversos governos ditatoriais que assim como o Brasil na ditadura, não precisa de armas, mas de bons exemplos.
Para qualquer pessoa que tenha um pingo de noção de história e política, é vergonhoso ver o papel que o presidente Lula presta com intuito de atrair para si as câmeras da imprensa.
Alguém que tem compreensão do sofrimento de um povo diante da censura de um estado ditatorial, nunca poderia tratar um país como o Irã, fazendo promessas até mesmo de enriquecer seu urânio aqui, sem enriquecer antes, seu discurso e suas exigências de democracia e liberdade.
Curiosidade!
Você se lembra nas eleições de 2009 no Irã? Como acabou a onda de protesto que denunciavam as fraudes na eleição?
i. As autoridades iranianas proibiram os jornalistas estrangeiros de fazer a cobertura das manifestações ou de qualquer acontecimento fora do programa do Ministério da Cultura e Orientação Islâmica
ii. O principal operador de telefones celulares do país, controlado pelo Estado, ficou inoperante na capital.
iii. Dado que os veículos da mídia tradicional sofriam restrições
iv. Foram mortas 20 pessoas
Deixe seu comentário

Todos os campos * são obrigatórios