Estrela inativaEstrela inativaEstrela inativaEstrela inativaEstrela inativa
 

Caminhão KCU 6603 bate contra poste no Setor Norte Ferroviário próximo a Subestação de mesmo nome e causa apagão em grande parte da cidade.
A energia foi restabelecida em poucos minutos.
Sílvio Lôbo  

-->
O Jornal ainda não sabe,
Diário da Manhã -> Agencia Estado - AE - Um apagão atingiu o estado de Goiás na tarde de hoje. Segundo a companhia responsável pela distribuição de energia, Celg, a interrupção aconteceu por volta das 13h40 e durou cerca de 30 minutos. Por volta das 15h, a energia já havia sido restabelecida na maior parte do Estado. Ainda não há informações sobre o que causou o problema, mas de acordo com a assessoria de imprensa da Celg, os técnicos da empresa já estão coletando dados para esclarecer o apagão.

Será?!

Agência Goiana de ComunicaçãoTamanho do texto

Uma queimada, embaixo de linhas de transmissão de Furnas localizadas no Distrito Agroindustrial de Anápolis (DAIA), provocou queda no sistema interligado de transmissão e deixou milhões de goianos, moradores das cidades de Goiânia, Anápolis, Inhumas, Palmeiras, Firminópolis, Iporá, Morrinhos, Caldas e Pires do Rio sem energia elétrica.

O apagão começou às 13h29 e o sistema só foi totalmente restabelecido às 15 horas. Segundo o diretor técnico da CELG, Humberto Eustáquio, duas linhas de transmissão foram atingidas e, por isso, o fornecimento foi interrompido. Elas ficam entre as subestações de Aparecida de Goiânia (Bandeirantes) e Brasília (Samambaia).

A falta de energia elétrica atingiu 1 milhão e 200 mil unidades consumidoras, o que significa aproximadamente 3 milhões e 500 mil pessoas. A polícia pode ser acionada, para investigar se a queimada foi acidental ou criminosa.

No caso dos consumidores que tiveram eletrodomésticos queimados ou sofreram qualquer tipo de prejuízo decorrente do apagão, Humberto Eustáquio assegurou que a CELG fará o ressarcimento, seguindo as normas estabelecidas pela Agência Nacional de Energia Elétrica (ANEEL), que regula o sistema. 

Deixe seu comentário

Todos os campos * são obrigatórios