Estrela inativaEstrela inativaEstrela inativaEstrela inativaEstrela inativa
 

29/12/2011 - Acusado de matar homem com golpes de marreta muda depoimento

O acusado do assassinato de Paulo Roberto Vinhal, de 59 anos, a golpes de marreta, e do roubo do veículo Fiat Uno e alguns objetos da vítima, mudou a versão em depoimento na manhã desta terça-feira ao delegado Geraldo Barbosa.

Ao contrário do que havia dito em depoimento na última segunda-feira (26), Guilherme Henrique da Silva, 19 anos, disse que não tinha um relacionamento com a vítima e que prestava serviços de pintor a Paulo Roberto Vinhal.

A mudança na versão ocorreu após a família da vítima constatar o fato de Paulo Roberto ser homossexual. De acordo com o delegado, a vítima tinha doze filhos e já teve várias mulheres. No novo depoimento, o acusado disse que prestou serviços de pintor nas casas que a vítima construía no Bairro Tiradentes.

Guilherme revelou ainda que matou o homem depois de uma discussão em que a vítima disse que só o pagaria após a conclusão do serviço. Conforme o delegado, a família confirmou a informação das casas que estavam sendo construídas e encontrou uma lista com nome de pessoas que prestavam serviços à vítima em que aparece o nome de Guilherme. As investigações devem continuar para confirmar as verdadeiras circunstâncias do crime.

Prisão

O crime ocorreu na noite do dia 23, em um bar que pertencia a vítima. Guilherme Henrique da Silva foi preso e prestou depoimento nesta segunda-feira (26), na Delegacia de Pronto Atendimento Comunitário (Depac) da Vila Piratininga, em Campo Grande.

De acordo com a Polícia, Guilherme Henrique da Silva foi preso após ser avistado pela filha de Vinhal andando com o carro da vítima. A moça questionou o rapaz sobre o dono do veículo e o jovem respondeu que o mesmo tinha viajado. A filha da vítima não acreditou nessa versão e acionou a Polícia Militar.

No primeiro depoimento, o rapaz entrou em contradição e acabou confessando o crime. Depois de matar Paulo Roberto Vinhal a marretadas, ele levou o corpo até o viaduto do anel rodoviário, nas proximidades do Bairro Itamaracá.

Conforme o depoimento, ao chegar no viaduto, o rapaz resolveu colocar fogo nas próprias vestes que estavam com manchas de sangue e as chamas atingiram o corpo da vítima. O acusado continua preso provisoriamente na Delegacia Especializada de Furtos e Roubos de Veículos (Defurv). Guilherme deve ser indiciado por latrocínio, ou seja, roubo seguido de morte.

Texto de Francisco Júnior, originado em:

http://www.campograndenews.com.br/cidades/capital/homem-e-morto-a-marretadas-e-tem-corpo-incendiado-por-rapaz-de-19-anos

Título original: 

Homem é morto a marretadas e tem corpo incendiado por rapaz de 19 anos

 

Um crime bárbaro foi descoberto na manhã desta segunda-feira pela polícia no bairro Jardim Itamaracá, em Campo Grande. Paulo Roberto Vinhal, de 59 anos, foi morto a golpes de marreta e teve o corpo incendiado. Guilherme Henrique da Silva, de 19 anos, confessou o crime em depoimento na delegacia.

De acordo com a polícia, a filha da vítima procurou na noite de ontem (25) a base da Polícia Militar do bairro Jóquei Clube informando o desaparecimento do pai. Um boletim de ocorrência foi registrado na delegacia.

Na manhã desta segunda-feira, ela viu o acusado no bar de propriedade de Paulo Roberto e chamou a polícia. Guilherme ainda tentou enganar os policias, dizendo que apenas estava cuidando do local.

Os PMs desconfiaram da história e encaminhou o acusado para o 5º Distrito Policial. Lá, de acordo com a Polícia, ele confessou o assassinato e informou o local onde abandonou o corpo. Após matar a vítima a golpes de marreta, Guilherme ateou fogo no corpo, segundo a polícia.

paulo roberto_vinhal

Após prestar depoimento, ele foi encaminhado para a sede da Defurv (Delegacia Especializada de Furtos e Roubos de Veículos).

26/12/2011 15h54 - Atualizado em 26/12/2011 15h54

[[Do G1 MS]]


Jovem é suspeito de matar homem a marretadas e queimar corpo em MS
Segundo a Polícia Civil, suspeito foi encontrado na conveniência da vítima.
Rapaz de 19 anos teria confessado crime, que aconteceu dia 25, diz polícia.

O corpo de um homem de 59 anos foi encontrado carbonizado, nesta segunda-feira (26), no Jardim Itamaracá, em Campo Grande. Segundo a Polícia Civil, a família dele havia registrado
boletim de ocorrência por desaparecimento. Um suspeito, de 19 anos, foi detido e teria confessado o crime, dizendo que matou a vítima a golpes de marreta e colocou fogo no corpo.

O delegado Jairo Carlos Mendes, da 5ª delegacia de Pronto Atendimento Comunitário (Depac) do bairro Piratininga, disse ao G1 que o suspeito foi detido após denúncia da filha da vítima. A família havia procurado a polícia no dia 25, dizendo que o homem estava desaparecido há dois dias.
A filha da vítima contou à polícia que passou em frente da conveniência do pai, na Vila Ipiranga, e viu o carro da vítima e o suspeito.
A Polícia Militar foi acionada por volta das 11h30 (horário de MS) e foi até a conveniência. O suspeito estava no local e negou envolvimento no desaparecimento da vítima. Segundo o delegado, o rapaz dizia que estava cuidando do estabelecimento e do veículo para o proprietário, que estaria viajando.
O rapaz foi levado para a delegacia e, segundo Mendes, confessou o crime. O suspeito disse à polícia que matou o comerciante a marretadas na tarde do dia 25 e levo o corpo para o pontilhão do Jardim Itamaracá. O jovem disse ao delegado que usou um litro de gasolina para atear fogo no corpo.
Desde o dia da morte até hoje, quando foi detido, o rapaz estava no bar, consumindo o estoque do bar e usando o carro da vítima. O caso foi registrado como latrocínio.

Deixe seu comentário

Todos os campos * são obrigatórios