Avaliação do Usuário

Estrela inativaEstrela inativaEstrela inativaEstrela inativaEstrela inativa
 

Descobri o nome de uma pimenta, não é algo tão simples.

Os nomes comuns que usamos no dia-a-dia é diferente para cada região

Uma pimenta conhecida como a Habanero Chocolate, pode ser conhecida como  Congo preta, Habanero escura, Chocolate ardido da Jamaica, Habanero preta, Chocolate ardida do Senegal, e Habanero cubana. (1)

Mas se você procura um nome científico, tenha certeza que isso também não irá ajudá-lo.

Isto porque, das dezenas de pimentas que conhecemos, as espécies "capsicum" são catalogadas apenas estas:

Capsicum
    Capsicum annuum - pimentão (no Brasil) ou pimento (em Portugal), que é uma pimenta doce, Jalapeño, Pimenta-caiena
    Capsicum baccatum - pimenta-dedo-de-moça, pimenta-cumari e cambuci. No Brasil também pimenta-calabresa.
    Capsicum frutescens - Pimenta-malagueta, também chamada piripíri, jindungo ou malagueta
    Capsicum chinense - Pimenta-murupi, Savina-vermelha
    Capsicum pubescens
    Bhut Jolokia - provável híbrido de C. chinense e C. frutescens, era considerada a pimenta mais ardida de todas até 2012. Perdeu esse título para a Trinidad Scorpion e desde 26 de dezembro de 2013 a pimenta mais ardida é a Carolina Reaper .[4]

Obs.: Suprimi aqui as espécies piper, como a pimenta-do-reino, e gêneros como Xylopia, Aframomum  e Zanthoxylum), por serem plantas totalmente diferentes.

 

Continuando,...

Poderemos separar diversas variedades dentro destas poucas espécies.

A denominação Capsicum frutescens remetem as espécies cujos frutos geralmente se erguem. Como exemplo a malagueta. Podemos citar também que as flores são brancas com uma corola amarela esverdeada ou amarela esverdeada.

Uma curiosidade sobre o nome Capsicum chinense diz respeito ao fato desta denominação vir do engano do catalogador que acreditava que estas espécies viriam da China. Um grande engano. Todas as pimentas Capisicum são originadas da América. A denominação 'pimenta' usada pelos portugueses ao se referir as iguarias orientais refere-se a pimentas-do-reino.

 

Formas científicas de denominar espécies. (Nomenclatura) (2)

A nomenclatura latina dos animais segue algumas regras essenciais:

1) deve ser escrita em itálico

2) a primeira palavra representa o gênero

3) a segunda palavra representa a espécie

4) a primeira palavra é escrita com a inicial maiúscula.

5) todas as outras letras do nome são minúsculas.

6) o nome científico é válido para ambos os sexos.

 

Além desta primeira explicação, temos também:

HÍBRIDOS: (Fonte: Mania das plantas. http://maniadasplantas.blogspot.com.br/)

São o resultado do cruzamento de duas espécies diferentes.
Por exemplo, cruzando a espécie Spiraea albiflora com a espécie Spiraea japonica obtemos o híbrido Spiraea x bumalda. Assim, quando entre as duas palavras encontramos um "x" sabemos que estamos perante um híbrido.
Exemplo: Spiraea x bumalda

Se o x aparecer antes das duas palavras estaremos perante um híbrido que resulta do cruzamento de duas espécies de dois géneros diferentes. São casos raros porque em 99% dos casos os híbridos resultam do cruzamento de duas espécies do mesmo género.
Estes cruzamentos podem ocorrer espontaneamente na natureza ou serem produzidos pelo homem.
Exemplo: x Cupressocyparis leylandii

 
CULTIVARES (Fonte: Mania das plantas. http://maniadasplantas.blogspot.com.br/)

 
São o resultado de um trabalho de selecção de uma característica de uma planta que é sujeita a técnicas de cultivo até que se obtenha uma planta nova com a característica pretendida, diferente da original. Por exemplo, o Nerium oleander apararece na natureza com flores de cor rosa mas existem cultivares de Nerium oleander de flor branca (Nerium oleander 'Mont Blanc'), de flor vermelha (Nerium oleander 'Atropurpureum'), de flor amarela (Nerium oleander 'Aurantiacum') e de outas cores, obtidos após a aplicação destas técnicas de selecção. Note-se que neste caso o último nome não se escreve em itálico, pode não ser latino e aparece entre aspas.
Exemplo: Nerium oleander 'Mont Blanc'

Na linguagem vulgar é frequente chamar variedade ao cultivar mas é incorrecto porque o cultivar é fruto do esforço humano e a variedade é um fenómeno espontâneo da natureza.

SUBESPÉCIES (Fonte: Mania das plantas. http://maniadasplantas.blogspot.com.br/)

Conceito semelhante ao de Variedade. Ocorrem também de forma espontânea na natureza. São plantas que se distinguen dentro da espécie por força das condições geográficas do território onde se desenvolveram as quais seleccionaram características da planta mais adequadas a esse terreno.
Exemplo: Quercus ilex subsp. rotundifolia


FORMAS (Fonte: Mania das plantas. http://maniadasplantas.blogspot.com.br/)

 Outro conceito parecido com o de Variedade e o de Subespécie. Ocorrem também de um modo espontâneo na natureza. São plantas que se distinguem em pormenores como a cor de uma folha ou a cor de uma flor.
Exemplo: Fagus sylvatica f. purpurea


COMBINAÇÕES
Exemplos:

1. Daboecia x scotica 'Jack Drake'
É um cultivar 'John Drake' de híbrido de Daboecia azorica com Daboecia cantabrica.

2. Escallonia rubra var. macrantha 'Crimson Spire'
É um cultivar 'Crimson Spire' da variedade macrantha da espécie Escallonia Rubra.

Fonte:

(1) http://confrariadapimenta.com/pimenta-chocolate-habanero/

 (2) http://www.areaseg.com/eco/nomesdeplantas.html

(3) http://maniadasplantas.blogspot.com.br/2009/09/nomenclatura-botanica.html